28 dezembro 2012

Isso é que é Natal !

Natal a maior festa de aniversário do mundo

"PARABÉNS JESUS!"
Comemoramos com alegria o nascimento de pessoas queridas e nos confraternizamos em seus aniversários. Portanto, entendemos ser válido e de muita gratidão nos regozijarmos também pelo nascimento de Jesus e lembrarmos desse acontecimento ímpar na história da humanidade com alegria. Outros, porém, entendem tratar-se de uma festa oriunda do paganismo, não-cristã. De antemão, queremos deixar bem claro que não iremos apresentar objeções contrárias aos grupos autenticamente cristãos que não participam de comemorações natalinas. Respeitamos essa opção, já que entendemos tratar-se de uma questão secundária. O mais importante para nós é nos mantermos unidos na fé em Jesus Cristo, respeitando a maneira amorosa de cada comunidade cristã prestar gratidão pela vinda do Filho de Deus à terra.

A palavra natal vem do latim natale, relativo ao nascimento. O mundo ocidental cristão define o Natal como a celebração do nascimento de Jesus Cristo, e isso ocorre, todos os anos, no dia 25 de dezembro. Observando a história, podemos analisar que a comemoração do nascimento de Jesus, através de uma data específica, era de pouco interesse dos cristãos primitivos.

A primeira evidência histórica de que dispomos sobre o Natal é da primeira metade do século III d.C. Hipólito, bispo de Roma, escolheu a data de 2 de janeiro para celebrar o nascimento de Jesus. Outros cristãos escolheram datas diferentes, tais como: 6 de janeiro, 25 ou 28 de março, 18 ou 19 de abril e 20 de maio. A comemoração universal de 25 de dezembro se firma entre 325 a 354 d.C., aproximadamente.

A celebração do nascimento de Jesus em 25 de dezembro

Os evangelhos não indicam a data em que o Senhor Jesus nasceu, mas apresentam um quadro grandioso e jubiloso da celebração desse dia: E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Acharás o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens (Lc 2.9-14).

Visto que não há registro bíblico do dia específico desse extraordinário acontecimento: o verbo se fez carne (Jo 1.1;14), os cristãos escolheram por si mesmos uma data para celebrar o Natal. Poderiam escolher outra data qualquer, mas a escolha recaiu sobre o dia 25 de dezembro, que era uma ocasião já consagrada no calendário do Império Romano pela grande festividade do Natal do Sol Invicto. A festividade do Natal do Sol Invicto era celebrada pelos adoradores do Sol (normalmente identificado com Mitra). O mitraísmo era um culto que possuía algumas semelhanças com o cristianismo e, paradoxalmente, intransponíveis diferenças. Era uma religião de mistério, que concorria intensamente com o cristianismo na busca de fiéis. O cristianismo entrou em conflito com essa religião e, finalmente, venceu.

A escolha do dia 25 de dezembro como data do nascimento de Jesus ofuscou as festividades do Natal do Sol Invicto dos pagãos e consagrou o dia do nascimento do verdadeiro Sol da Justiça, que para os cristãos é Cristo:

Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria (Ml 4.2). Dessa maneira, os cristãos daquela época cristianizaram um dia festivo do calendário romano, argumentando que Jesus é a luz verdadeira. Pois o próprio Senhor Jesus disse, em João 8.12, que ele é a luz do mundo. Foi uma maneira que esses cristãos acharam de considerar o feriado romano e trocar o objeto de culto, já que não tinham uma data específica. Com isso, destruíram o culto pagão, condenando-o ao desaparecimento.

Para que possamos compreender bem a questão, apresentamos o seguinte exemplo: O carnaval no Brasil é comemorado em fevereiro. Imagine se os crentes brasileiros conseguissem ganhar as pessoas para a fé em Jesus e, ao invés de festejarem o Carnaval, esse período fosse dedicado ao Senhor Jesus. Neste caso, o feriado carnavalesco seria mantido no calendário oficial do Brasil, mas essa data seria dedicada ao culto e aos louvores ao Filho de Deus. Aliás, nessa data, muitas igrejas evangélicas realizam reuniões, retiros espirituais e cultos. Guardando as devidas proporções, foi algo parecido com esse exemplo que ocorreu com a celebração do Natal. Ou seja, caso isso acontecesse, de o feriado do Carnaval ser dedicado ao senhor Jesus, seria falso dizer que a sua origem era pagã.

Embora a maioria dos cristãos celebre o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro, nem todos consideram essa data, mas isso não consiste um problema propriamente dito, já que para muitos o importante não é a data em si, mas o acontecimento: Jesus nasceu. Os ortodoxos comemoram o Natal no dia 06 de janeiro e os armênios, no dia 19 do mesmo mês. Biblicamente, dois fatos importantes demonstram que o nascimento de Cristo não se deu em nenhuma dessas datas. O contexto de Lucas, por exemplo, revela que o nascimento do Messias ocorreu em um verão: o recenseamento Determinado por César Augusto (Lc 2.1-2) e os pastores no campo durante a noite (Lc 2.9). O deslocamento de grandes grupos de pessoas de um local para outro não era algo apropriado no inverno e muito menos era típico dos pastores apascentarem suas ovelhas no relento nessa época do ano.

Grande parte dos cristãos evangélicos comemora o acontecimento, e não o dia em si, pois para eles todos os dias é Natal. Como já falamos, muitas igrejas cristãs não comemoram o Natal, outras defendem a abstinência de qualquer celebração (por exemplo, aniversários, casamentos, apresentação de crianças, Ano Novo etc). E respeitamos a posição adotada pelas diferentes denominações, como também respeitamos a posição das igrejas que adotam as celebrações. O apóstolo Paulo, escrevendo aos irmãos de Colossos, declara:
Portanto, ninguém vos julgue pelo comer ou pelo beber ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados (Cl 2.16). E vai mais além: E quando fizerdes por palavras ou por obras fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai (Cl 3.17).

A Importância do nascimento do Jesus

Independente da data e da comemoração do Natal, acreditamos que todos os cristãos são gratos a Deus pela vinda de Jesus. O Senhor Jesus é a pessoa central da fé cristã. A primeira profecia referente ao Messias está registrada no livro de Gênesis, onde o apresenta como a semente da mulher: E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a Sua semente; Este [Jesus] te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar (Gn 3.15). O Messias nasceria da descendência de Abraão: . . .e em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12.3). A respeito dele, lemos o seguinte em Números 24.17: Vê-lo-ei não agora, contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó e um cetro subirá de Israel...

O nascimento do Senhor Jesus é motivo de grande alegria a todos o povos. Para os cristãos, o Natal (o nascimento de Jesus) significa a materialização do grande amor de Deus: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna.

Independente de qualquer posição em relação à festa de Natal, louvamos a Deus por essa feliz Boa Nova: Jesus nasceu!

Fonte: Defesa da Fé
Por Alberto Alves da Fonseca

O Cristão e o Sexo

Por C. S. Lewis

Para sermos curados, temos de querer ser curados. Todo aquele que pede socorro será atendido; porém, para o homem moderno, até mesmo esse desejo sincero é difícil de ter. E fácil pensar que queremos algo quando na verdade não o queremos. Um cristão famoso, de tempos antigos, disse que, quando era jovem, implorava constantemente pela castidade; anos depois, se deu conta de que, quando seus lábios pronunciavam “ó Senhor, fazei-me casto”, seu coração acrescentava secretamente as palavras: “Mas, por favor, que não seja agora.” Isso também pode acontecer nas preces em que pedimos outras virtudes; mas há três motivos que tornam especialmente difícil desejar — quanto mais alcançar – a perfeita castidade.

Em primeiro lugar, nossa natureza pervertida, os demônios que nos tentam e a propaganda a favor da luxúria associam-se para nos fazer sentir que os desejos aos quais resistimos são tão “naturais”, “saudáveis” e razoáveis que essa resistência é quase uma perversidade e uma anomalia. Cartaz após cartaz, filme após filme, romance após romance associam a idéia da libertinagem sexual com as idéias de saúde, normalidade, juventude, franqueza e bom humor. Essa associação é uma mentira. Como toda mentira poderosa, é baseada numa verdade – a verdade reconhecida acima de que o sexo (à parte os excessos e as obsessões que cresceram ao seu redor) é em si “normal”, “saudável” etc.
A mentira consiste em sugerir que qualquer ato sexual que você se sinta tentado a desempenhar a qualquer momento seja também saudável e normal. Isso é estapafúrdio sob qualquer ponto de vista concebível, mesmo sem levar em conta o cristianismo. A submissão a todos os nossos desejos obviamente leva à impotência, à doença, à inveja, à mentira, à dissimulação, a tudo, enfim, que é contrário à saúde, ao bom humor e à franqueza.

 Para qualquer tipo de felicidade, mesmo neste mundo, é necessário comedimento. Logo, a afirmação de que qualquer desejo é saudável e razoável só porque é forte não significa coisa alguma. Todo homem são e civilizado deve ter um conjunto de princípios pelos quais rejeita alguns desejos e admite outros. Um homem se baseia em princípios cristãos, outro se baseia em princípios de higiene, e outro, ainda, em princípios sociológicos. O verdadeiro conflito não é o do cristianismo contra a “natureza”, mas dos princípios cristãos contra outros princípios de controle da “natureza”. A “natureza” (no sentido de um desejo natural) terá de ser controlada de um jeito ou de outro, a não ser que queiramos arruinar nossa vida. E bem verdade que os princípios cristãos são mais rígidos que os outros; no entanto, acreditamos que, para obedecer-lhes, você poderá contar com uma ajuda que não terá para obedecer aos outros.
Em segundo lugar, muitas pessoas se sentem desencorajadas de tentar seriamente seguir a castidade cristã porque a consideram impossível (mesmo antes de tentar). (…) Podemos ter certeza de que a castidade perfeita — como a caridade perfeita — não será alcançada pelo mero esforço humano. Você tem de pedir a ajuda de Deus. Mesmo depois de pedir, poderá ter a impressão de que a ajuda não vem, ou vem em dose menor que a necessária. Não se preocupe. Depois de cada fracasso, levante-se e tente de novo. Muitas vezes, a primeira ajuda de Deus não é a própria virtude, mas a força para tentar de novo. Por mais importante que seja a castidade (ou a coragem, a veracidade ou qualquer outra virtude), esse processo de treinamento dos hábitos da alma é ainda mais valioso. Ele cura nossas ilusões a respeito de nós mesmos e nos ensina a confiar em Deus. Aprendemos, por um lado, que não podemos confiar em nós mesmos nem em nossos melhores momentos; e, por outro, que não devemos nos desesperar nem mesmo nos piores, pois nossos fracassos são perdoados. A única atitude fatal é se dar por satisfeito com qualquer coisa que não a perfeição.
Em terceiro lugar, as pessoas muitas vezes não entendem o que a psicologia quer dizer com “repressão”. Ela nos ensinou que o sexo “reprimido” é perigoso. Nesse caso, porém, “reprimido” é um termo técnico: não significa “suprimido” no sentido de “negado” ou “proibido”. Um desejo ou pensamento reprimido é o que foi jogado para o fundo do subconsciente (em geral na infância) e só pode surgir na mente de forma disfarçada ou irreconhecível. Ao paciente, a sexualidade reprimida não parece nem mesmo ter relação com a sexualidade. Quando um adolescente ou um adulto se empenha em resistir a um desejo consciente, não está lidando com a repressão nem corre o risco de a estar criando. Pelo contrário, os que tentam seriamente ser castos têm mais consciência de sua sexualidade e logo passam a conhecê-la melhor que qualquer outra pessoa. Acabam conhecendo seus desejos como Wellington conhecia Napoleão ou Sherlock Holmes conhecia Moriarty; como um apanhador de ratos conhece ratos ou como um encanador conhece um cano com vazamento. A virtude – mesmo o esforço para alcançá-la — traz a luz; a libertinagem traz apenas brumas.
Para encerrar, apesar de eu ter falado bastante a respeito de sexo, quero deixar tão claro quanto possível que o centro da moralidade cristã não está aí. Se alguém pensa que os cristãos consideram a falta de castidade o vício supremo, essa pessoa está redondamente enganada. Os pecados da carne são maus, mas, dos pecados, são os menos graves. Todos os prazeres mais terríveis são de natureza puramente espiritual: o prazer de provar que o próximo está errado, de tiranizar, de tratar os outros com desdém e superioridade, de estragar o prazer, de difamar. São os prazeres do poder e do ódio. Isso porque existem duas coisas dentro de mim que competem com o ser humano em que devo tentar me tornar. São elas o ser animal e o ser diabólico. O diabólico é o pior dos dois. E por isso que um moralista frio e pretensamente virtuoso que vai regularmente à igreja pode estar bem mais perto do inferno que uma prostituta. É claro, porém, que é melhor não ser nenhum dos dois.

Extraído do livro Cristianismo Puro e Simples (Editora Martins Fontes)

21 dezembro 2012

Confraternização de Obreiros





Na noite desta quinta-feira , dia 20/12 se realizou uma linda Confraternização entre obreiros da Sede da Itej  e Congregações.
Foi uma noite de muita emoção, os Pastores Rito e Heliana Gomes passaram uma linda homenagem aos Obreiros , um Slide com fotos diversas dos mesmos e mensagens de agradecimento e motivação para o ano de 2013( criado pela Obr.ª Diana ) .
Na ocasião, a Obrª Mônica da Congregação das Pedrinhas ( sob a direção do Pr.Marcio Moreira) apresentou uma Dinâmica criativa , na qual todos participaram ( A Bola, o Papel e o Palito) . A turma foi dividida em três grupos que tiveram que refletir  sobre estes tres elementos .
Tivemos a grata participação da Levita Daiane Goes e de Vini (Ministro de Louvor ( Sede-Itej) ,adoradores que adoram em Espírito e em Verdade !  
" Agradecemos a Deus pela equipe abençoadíssima que o Senhor Jesus , tem levantado para nos auxiliar nesta grande Obra."
                                             Declararam os Pastores Presidentes da ITEJ- CONQUISTA.

Pr.Rito Gomes(Prasidente da Itej-Conquista)
Pr. Marcio Moreira( Itej - Pedrnhas)


Obr.ª Mônica( Itej-Pedrinhas)

Em destaque o casal de dirigentes da mais nova Itej em Vitória da Conquista( Vila Serrana) Evtª Nailton e sua esposa a Ds. Verônica ao lado à Ds.ª Ana.





No final saboreamos um delicioso coffee-break!

16 dezembro 2012

Nasce mais uma ITEJ

No dia  08 de Dezembro de 2012 , inaugurou no Bairro da Cidade Maravilhosa/Vila Serrana , a quarta ,  Congregação da ITEJ em Vitória da Conquista . Que será dirigida pelo casal Evtª Nailton e a Ds.ª Verônica. O culto de inauguração contou com a presença dos dirigentes das demais Congregações e dos Pastores Rito e Heliana Gomes (fundadores da ITEJ-Conquista) , Pr.Marcio e sua esposa Evtª Roberta, e a Evtª Cirene da Itej de Macaúbas, acompanhada de suas filhas Débora e Daniela.









04 dezembro 2012

INAUGURAÇÃO DA ITEJ- VILA SERRANA

NESTE SÁBADO , DIA 08 DE DEZEMBRO DE 2012 , ÀS 19:00 HS  A ITEJ-CONQUISTA ESTARÁ INAUGURANDO MAIS UMA CONGREGAÇÃO , DESTA VEZ ALÍ NO BAIRRO DA VILA SERRANA .
A IGREJA FICARÁ SOB A RESPONSABILIDADE DO EVTª NAILTON E SUA ESPOSA A DS.ª VERÔNICA , QUE COM MUITA ALEGRIA E ENTUSIASMO, DECLARARAM QUE DESDE ALGUNS MESES , ENTRARAM NUM PROPÓSITO COM DEUS, PEDINDO AO SENHOR JESUS QUE OS USASSEM MAIS NA SUA SEARA ,EMBORA JÁ ESTIVESSEM AO LADO DO PR. RITO E A PR.ª HELIANA GOMES HÁ 12 ANOS COLABORANDO ATIVAMENTE , AINDA SENTIAM QUE PODERIAM FAZER MAIS PARA O SENHOR,  POIS DESEJAM GANHAR MUITAS ALMAS PARA CRISTO.
Evt.ª Nailton e esposa Ds.ª Verônica  
Jesus se dirigiu aos discípulos e disse: " A seara na verdade ,é grande, mas  os trabalhadores são poucos . Rogai ,pois ao Senhor da seara  que mande trabalhadores para sua seara." Mt. 9.37-38.

Agradecemos ao senhor por ter levantado mais um casal , com disposição e coragem para a obra.

Bairro Vila Serrana


15º Aniversário da ICB - Nova Cidade

Agora sob nova direção , O Evt. Wanderley e sua esposa a Obreira Jaciara . A ICB Nova Cidade , vem rompendo em fé . Agradecemos a Deus por ...